quinta-feira, outubro 23, 2008

Imigrante não precisará mais saber francês para imigrar...

Em alguns jornais de hoje, está a informação de que o Québec não irá mais exigir o conhecimento do francês para que as pessoas consigam o visto de imigrante.

Ministra de Imigração Yolande James
(obrigado Erasmo!!!)

Por outro lado, o governo irá incentivar o estudo do idioma quando o candidato ainda estiver no seu país de origem através dos cursos de francisação à distância.

Será que esta notícia é boa ou ruim????

Vejamos alguns pontos discutidos (são apenas pontos, e não a minha opinião!!!!!) neste polêmico assunto:

- O Québec está "desesperado" por atrair mão-de-obra.
- Os cursos de francisação atualmente não são suficientes para que as pessoas consigam o primeiro emprego
- Os cursos de francisação tem dado bons resultados
- O ministério de imigração vai aumentar o número de vistos de imigrantes: de 45k por ano para 55k.
- Existe um projeto para melhorar os cursos de francisação tanto no quesito horas/aula quanto no aumento do nível de conhecimento.

Alguns comentários , agora sim, do meu ponto de vista.

- A falta de mão-de-obra é séria aqui no Québec. Mas acho que o problema não é o idioma e sim a qualificação profissional.
- Saber falar bem o idioma deveria, sim, ser obrigação ANTES de imigrar. Isto faz toda a diferença no processo de adaptação.
- Se eles querem aumentar os francofones, esta medida não irá ajudar. O que vai ter de imigrante falando espanhol, inglês e chinês sem saber falar francês vai ser enorme....
- Melhorar o nível dos cursos de francisação é uma boa idéia, mas também deveriam repensar os cursos de francisação em tempo parcial.... por exemplo, pagar uma remuneração também para quem estivesse estudando meio-período.

De toda maneira, acho que qualquer imigrante que esteja pensando sério em rapidamente se adaptar ao novo país deve estudar MUUUUIIIITTTTTOOOOO o francês e também o inglês antes de imigrar.

Esta é a minha opinião ... e a sua???

Abraços.

8 comentários:

Jão disse...

Olá Rogério e Luciane

Já tinha passado aqui no blog de vocês outras vezes, mas foi na correria e não deu tempo de ler muita coisa.

Parabéns pelos posts sempre informativos e de bom conteúdo.

A meus olhos esta medida não parece muito boa, como você falou, chegar com nível bom do idioma é fundamental para adaptação.

É como um amigo disse, não adianta o país ter muitas oportunidades, se quando ela bater na sua porta você não entender o que ela está falando.

Um abraço e até breve

Pellicano disse...

Apesar de estar morando no Brasil (ainda) e não conhecer o mercado de trabalho canadense, acho que as empresas poderiam investir em trainees que são de áreas específicas e qualificá-los com cursos profissionalizantes que voltasse para o foco da empresa.
Ex.: Eu sou programador. Tenho conhecimento em PHP, Java e C.
Já recebo várias oportunidades pelo Jobshark necessitando de programadores C# (.NET), Perl, Python e outras ferramentas específicas.
Tenho certeza que se me dessem a oportunidade (e o fizessem para outras pessoas) e investissem em cursos, acho superaríamos as espectativas.

Com relação ao POST, é uma ÓTIMA notícia.
Quero saber se ainda vão continuar com a entrevista ou vão tirar também.

Abs,
Pellicano.

Erasmo disse...

Excelente comentário e ponto de vista... não dá para vir e aprender francês "na raça"... preparação é primordial.
Só uma correção: a Ministra chama-se Yolande James (http://www.micc.gouv.qc.ca/fr/ministre/index.html)

Abraços

Daniela disse...

Vamos para Vancouver mas meu marido já tem nivel intermediario de frances e vai continuar estudando pois temos um plano B e é Quebec. Vou iniciar tb o frances aqui pois só ABAJOUR não dá neh?

Dani
http://vidanovaemvancouver.blogspot.com/

primaujp disse...

Ola Rogerio,

Qto tempo, como vão vcs, esperamos que bem!
Eu acho arriscado o governo não exigir mais o conhecimento do francês antes da imigração pois como vc disse este faz parte de nossa integração por aqui. Fiquei impressionada com esta noticia. É verdade que o MICC esta reformulando algumas coisas em relação aos cursos de francisação. Eu mesma participei de uma experimentação la na UQÀM pois eles querem avaliar o nivel de aprendizado e talvez a partir disto a francisação passara a ter 4 niveis (hj, tem so 3). Outra coisa nova também é que a partir de novembro havera o curso de francês escrito e oral em tempo integral ( que antes era so a tempo parcial).Por enquanto em poucas escolas (na verdade 3 mas acho que se der certo pode ser que havera em outras e acho que estes cursos serão o 4 nivel).

Bom espero ter acrescentado,
Bjos pra vcs,
Pri.

Darlene disse...

Rogério,
gostaria de agradecer imensamente por todas as dicas e informações que vc nos disponibiliza...Muito obrigada mesmo!!!!
Faço frânces há 2 anos, e meu namorado começou a fazer agora! Os planos é dar entrada com tudo no início do ano que vem, e concordo plenamente com vc...seria suicidio ir para um país sem saber o idioma direito!
Grata por tudo!
Darlene

Ti disse...

Olá! Valeu Rogério! Agora....achei muito estranha essa medida do governo..., acho que o desespero por mão de obra não justifica. Um tempo atrás, conversando com amigos sobre a demora em chamar para entrevista e o adiantamento do processo para aqueles com nível mais alto de francês, chegamos a cogitar que a tendência seria a exigência do teste de proeficiência...Abraço! Ticiana

Rodrigo disse...

Concordo com você Rogério!
Acho que o Québec pode incentivar a imigração com outras formas sem perder a "qualidade" do processo de seleção!
Acho que a lingua é o básico do básico pra que está pensando em imigrar....
Pra mim essa idéia é como conceder um green card para um japonês que não fala inglês!!! "Prometo que vou estudar inglês", mas em quanto tempo ele vai ser útil para a sociedade que o acolheu???
Essa medida pode causar mais prejuízo que a penúria de mão de obra tão comentada!
Falei....